Mochilão pela Europa: Como planejar um mochilão

No primeiro post da série “Mochilão pela Europa” falei sobre algumas informações mais gerais, como documentos necessários, visto, etc. Agora vou explicar como planejar um mochilão, pois o planejamento é fundamental para fazer uma viagem divertida e barata.

# Como planejar um mochilão?

Vou dividir o post em perguntas que você deve fazer a si mesmo para aprender como planejar um mochilão e começar a traçar seu roteiro. Se preferir, você pode ver o vídeo no final do post. Lá eu explico tudo o que escrevi aqui embaixo. Então vamos lá!

Como planejar um mochilão
Como planejar um mochilão – Foto: thinkstockphotos

# Quanto tempo tenho?

Pra mim essa pergunta é a mais importante. Muitos acham que é a “quanto dinheiro tenho?” (que será a segunda pergunta rs ), mas posso ter o dinheiro que for que não conseguirei aproveitar os lugares com pouco tempo. Porém, com pouco dinheiro é possível, visto que na Europa tem várias coisas gratuitas pra se fazer.

Muitos viajantes de primeira viagem querem desbravar o continente em apenas 1 mês. Não faça isso! Aqui, vale lembrar da premissa “menos é mais”. De que adianta passar apenas por uma cidade?! O legal é conhecer os lugares, o povo, a cultura.

Como planejar um mochilão: Conheça bem os lugares e a cultura dos povos
Como planejar um mochilão: Conheça bem os lugares e a cultura dos povos – Foto: ec.europa.eu

Para cidades maiores, como Berlim, Paris e Londres, separe pelo menos 5 dias para fazer o básico. Já para as menores, como Praga ou Viena, 3 dias é um prazo razoável. Algumas cidades vale a pena conhecer através de bate-voltas (Fátima ou Bruges, por exemplo), aí o ideal é escolher uma cidade maior como base para passar a noite. Lembrando aqui que essa questão de tempo é bem relativa, quem ama arte pode querer separar um dia inteiro para o Louvre, já quem não é tão fã pode querer ficar lá só 4 horas (foi o que eu fiz :)). Não existe verdade absoluta, apenas use o bom senso.

Outro “erro” bastante comum é contar os dias de deslocamento como dias de passeio. Não faça isso! Costumo dizer que dia de deslocamento é dia “perdido” por causa do tempo gasto,  dos imprevistos que podem acontecer e também por conta do cansaço da viagem. Não estou dizendo para não programar nada, mas deixe uma janela de tempo maior entre a chegada e o passeio.

# Quanto dinheiro tenho?

Quando penso em mochilão, penso em uma viagem mais em conta. Economia é a palavra chave. E pra economizar existem várias alternativas! Vou fazer um post separado sobre formas de economizar com hospedagem, que é o que mais “come” nosso dinheiro.

Se tiver um orçamento mais apertado opte por cidades do Leste Europeu, como Budapeste e Praga. São ótimas opções e beeem mais baratas que Paris e Londres.

Como planejar um mochilão: Economia é fundamental
Como planejar um mochilão: Economia é fundamental

Vou dar um exemplo da minha última viagem para a Europa: conheci 6 cidades em 22 dias e gastei no total R$6.200 (o Euro na época estava R$3,10). Só me hospedei em hostels, fiz a maioria dos deslocamentos de trem e não fiquei comendo sempre em restaurantes. Cozinhava nas cozinhas dos hostels e comprava lanchinhos nos mercados.

# Quais cidades quero conhecer?

Adoro essa parte! Hora de abrir o Google Maps e “explorar”!

É legal fazer um roteiro com uma sequência lógica de cidades. Exemplo de um roteiro “errado”: Lisboa, Budapeste, Amsterdã e Roma. Neste caso os países não fazem fronteira e ficam longe uns dos outros. Exemplo de um roteiro “certo”: Budapeste, Viena, Praga e Berlim ou Paris, Bruxelas e Amsterdã. Já nesses últimos dois exemplos, os países são fronteiriços e o roteiro foi feito em uma ordem lógica, no caso debaixo para cima.

Faça seu roteiro com cidades próximas
Faça seu roteiro com cidades próximas – Foto: mochileiros.com

Quando eu vou fazer meus roteiros, pesquiso por cidades menores perto das capitais, pois na Europa tem cada cidadezinha charmosa e, às vezes, desconhecida por nós. San Sebastian (na Espanha) e Biarritz (na França) são dois exemplos claros, são cidades que não estão na rota turística tradicional, mas que tem muito a oferecer. Já fiz um post sobre Biarritz, se quiser conferir é só clicar aqui.

Basicamente, quando eu vou escolher as cidades que quero conhecer abro 5 coisas: Google Maps (para ter uma noção geográfica), Google (para pesquisar fotos e posts sobre determinada cidade), Excel (pra anotar tuuuuudo), calculadora (essa é bem óbvia, né? Rs), Go euro (site para buscar passagens internas e ver quanto mais ou menos irei gastar com deslocamento e decidir se vale a pena).

Depois que você responder essas perguntas aí de cima, seu mochilão já vai começar a ter “forma” e o próximo passo é decidir de onde você vai sair no Brasil e qual será o seu primeiro destino!

# Passagem aérea

Chegou a hora que muitos odeiam: pesquisar, pesquisar e pesquisar. É hora de procurar uma passagem com aquele super preço.

Agora a palavra é flexibilidade. Se você puder escolher entre 2 aeroportos pra embarcar (eu, por exemplo, moro em uma cidade que não tem aeroporto e posso escolher entre Belo Horizonte ou Rio de Janeiro) terá mais opções na hora de pesquisar a passagem aérea, mas se morar em uma cidade que já tem aeroporto não se preocupe, pois terá flexibilidade ao escolher a cidade de desembarque na Europa.

Quando eu fui comprar minha última passagem, pesquisei durante 20 dias, em horários diferentes (de manhã ou a noite), com aeroportos diferentes, datas de embarque diferentes (já falei que flexibilidade é a chave aqui, né?!) e fui anotando em uma planilha pra depois comparar qual combinação de dia/data/destino a passagem estava com um preço melhor. O Voopter é ótimo para comparar as ofertas de passagens.

Banner 300x250

Pesquise por trechos “ida e volta” e somente ida ou somente volta (separados). Nessa última vez que pesquisei, o trecho ida e volta junto estava R$600,00 mais caro do que se comprasse um e depois o outro.

Pra quem ainda não viu os posts que fiz sobre passagem, sugiro clicar aqui e ler 😉 Se tiver em dúvida sobre a cia aérea, dá uma olhadinha nos reviews sobre a Royal Air Maroc e Qatar Airways que fizemos.

Bom, já falei demais por hoje, né?!  Agora você já sabe como planejar um mochilão. O próximo passo é pesquisar as opções de hospedagem, que vai ser assunto do próximo post da série. Ative as notificações do Blog e se inscreva no nosso Canal do Youtube para não perder as novidades!

O vídeo explicando como planejar um mochilão está logo aqui embaixo. Até mais!

RELACIONADOS