Bangkok: a cidade dos templos e dos mochileiros – Parte I

No último post escrevi algumas coisas gerais sobre a Tailândia, como: moeda, religião, visto, etc. Se você ainda não leu, é só clicar aqui. Os próximos posts da série Ásia Trip serão sobre Bangkok (o que fazer, onde se hospedar, onde comer, compras, dicas e uma tabela com gastos)! Hoje vou falar sobre os passeios mais tradicionais na capital do país!

Imagens de Buda - Wat Pho - Bangkok
Imagens de Buda – Wat Pho – Bangkok

Bangkok é a capital da Tailândia e possui mais de 8 milhões de habitantes. Conta com 2 aeroportos: o Suvarnabhumi, que se você viajar do Brasil pra lá provavelmente vai desembarcar nele, e o Don Mueang, que é o mais antigo da cidade. Nele operam várias cias low cost, foi lá que peguei meu voo para o Camboja. (Não se preocupem pois vou escrever um post separado sobre como se deslocar de/para os aeroportos)

A cidade possui um número enorme de templos, mais de 400! Também possui shoppings centers e muitos mercados.

O transporte público não é ruim. Quando estive lá utilizei o Rail Link, ônibus, tuk tuk, além de táxi e Uber. Porém, o trânsito é bem pesado! Na hora do rush fiquei 30 minutos parada em um congestionamento! Assim, se tiver horário marcado e for pegar táxi ou Uber, programe-se para sair com antecedência!

Ônibus 47 - Bangkok
Ônibus 47 – Bangkok

# O que fazer em Bangkok

Na cidade não existem só templos para visitar! Recomendo ficar pelo menos 3 noites em Bangkok (eu fiquei 4, mas se pudesse ficaria mais umas 2 para aproveitar a vida noturna haha). Lá tem muitas opções de entretenimento e turismo. Aqui vou falar dos principais templos, que é o que mais atrai os turistas. Antes de começar, WAT significa templo em tailandês.

Grand Palace

Grand Palace - Bangkok
Grand Palace – Bangkok

Era a antiga moradia do Rei, atualmente é usado em algumas cerimônias especiais. No Grand Palace está o templo do Buda de Esmeralda (Wat Phra Kaeo). O complexo é um dos lugares mais visitados de Bangkok, ele todo é muito lindo, muito rico. Fiquei deslumbrada, parada obrigatória!

O local possui mais de uma entrada, fique atento pois no dia que você for visitar uma delas poderá estar fechada, mas não quer dizer que todas estarão. Quando visitei, uma delas estava, quase desisti, mas continuei andando e vi uma outra aberta.

Uma das entradas doGrand Palace
Uma das entradas do Grand Palace

ATENÇÃO: o uso de calça cumprida é obrigatória para homens (no local eles emprestam calças, não precisa desesperar haha), já as mulheres tem que estar com os ombros e colo cobertos. Eu fui de vestido longo, sem manga, mas levei uma blusinha preta e a coloquei antes de entrar no complexo.

Grand Palace
Grand Palace

O complexo fica aberto para visitação das 8:30 às 15:30. A entrada custa 500 bahts (+- R$50). Sugiro reservar pelo menos umas 3 horas para conhecer o local, pois além de ter muita coisa pra ver, é muito cheio, então tem que ter paciência, principalmente se quiser tirar uma foto sem um chinês aparecendo junto com você rs.

Grand Palace
Grand Palace

Curiosidade: eu visitei o Grand Palace uns 50 dias após a morte do Rei Bhumibol Adulyadej e havia muitas coisas especiais acontecendo, como: entrada grátis para o local, água mineral gratuita, café gratuito e muitos tailandeses de preto prestando homenagens.

Mapa dos templos.
Mapa dos templos.

Wat Pho

Mais conhecido como o Templo do Buda Reclinado. Fica localizado a uns 700 metros do Grand Palace. Possui um número enorme de estátuas do Buda. A maior e mais famosa delas, que é o Buda Reclinado, tem 46 metros de cumprimento e 15m de altura! É enorme e cheia de detalhes ( como quase tudo no Wat Pho), admire sem pressa!

Buda Reclinado.
Buda Reclinado.

Ali mesmo, onde está o Buda reclinado, tem uns potinhos de bronze em que o pessoal costuma colocar moedinhas em cada um deles, no total são 108 potes. A lenda diz que traz sorte e eu, é claro, não ia deixar de fazer esse “ritual” haha. Não se preocupe, você não vai precisar carregar 108 moedas, ali mesmo você pode fazer uma doação de 20 bahts e pegar um potinho com as moedinhas.

Wat Pho - potes de bronze para colocar as moedinhas e ter sorte.
Wat Pho – potes de bronze para colocar as moedinhas e ter sorte.

O Templo abre às 8h e fecha às 18:30 (pode variar de acordo com a época do ano). A entrada custa 100 bahts e junto com o ingresso ganhei um vale para pegar uma garrafinha de água mineral. Sugiro reservar, pelo menos, umas 2 horas para conhecer o local.

Wat Arun – Templo do Amanhecer

Wat Arun.
Wat Arun.

É um dos cartões postais da cidade, fica localizado nas margens do Rio Chao Phraya. Admire-o de perto e de longe, você terá impressões bem diferentes. Ele não é tão imponente e grande quanto o Wat Pho, mas tem seu charme. A sua torre mais alta mede 79 metros de altura. Quando eu visitei o templo (dezembro/2016) ele estava em reforma, o que tirou um pouco a “magia” da visita, mas mesmo assim valeu a pena.

Para chegar até ele peguei um express boat nas margens do rio, a travessia é rápida e custa 7 bahts (ida e volta). Aproveite para tirar algumas fotos e admirar o templo de longe.

Wat Arun ao fundo.
Wat Arun ao fundo.

O Wat Arun fica aberto das 8:30 às 17:30 e a entrada custa 50 bahts. Sugiro reservar uns 60 minutos para conhecer o local.

Wat Traimit – Templo do Buda de ouro

Nele está a maior estátua de ouro maciço do mundo!! A estátua do Buda de ouro pesa 5,5 toneladas e tem 5 metros de altura.

O Templo fica localizado em Chinatown. Funciona das 9h às 17h e a entrada custa 40 bahts. Se você fizer os templos na sequência que escrevi aqui (que foi o que eu fiz), sugiro pegar um táxi/Uber até o Wat Traimit, pois são uns 40 minutos de caminhada do Wat Arun até ele.

Após explorar o templo, se não estiver muito cansado, caminhe pelo bairro, é tanta coisa diferente e interessante.

Se o seu hotel/hostel for na região da Khao San Road (como o meu) não dá pra pegar metrô para voltar, sugiro então uma voltinha de tuk tuk, que foi o que eu fiz (é coisa de turista? Sim, mas o que somos? Turistas!) Seja tradicional e ande de tuk tuk pelo menos uma vez.

Observação: eu não contratei nenhum guia local, fui a todos esses lugares por minha conta, mas quem quiser entender um pouco sobre a história dos lugares enquanto faz a visita é só contratar o guia, inclusive tem alguns que falam português.

Dá pra você visitar esses 4 lugares no mesmo dia, eu fiz isso e foi tranquilo (um pouco cansativo, mais por conta do calor). Quem quiser ver os vídeos da viagem é só conferir lá no nosso Canal. Por hoje é isso, se tiverem alguma dúvida é só deixar aqui embaixo! Até mais!

RELACIONADOS